header
Regras
PDF Imprimir E-mail

O Pádel é disputado sempre em duplas. A bolinha e a quadra são iguais às do tênis. A quadra tem 20m de comprimento por 10m de largura, com paredes nos fundos e parte das laterais. Algumas, mais sofisticadas, utilizam vidro ou blindex no lugar das paredes, permitindo excelente visualização do jogo. O restante é cercado por telas ou alambrados de metal, sendo que o piso pode variar do cimento à grama oficial. O diferencial do Pádel para outros esportes de raquete é a interação das paredes, uma vez que elas recolocam a bola em jogo, o que dá mais emoção e dinamismo à disputa de um ponto. Ainda que comuns, as competições entre o Tênis e o Pádel são evitadas pelos praticantes de ambas modalidades. "São dois esportes diferentes, cada um com suas características. O que posso dizer é que gosto de jogar Pádel e que é um esporte muito divertido, pois a bola não para nunca", afirma o tenista Fernando Meligeni. Quando praticado por atletas profissionais, o Pádel proporciona espetáculos de destreza e habilidade em ambiente dinâmico e competitivo. Por outro lado, a modalidade cresce cada vez mais como opções de lazer para amadores. Isso se deve ao fato do Pádel ser um esporte de fácil aprendizado e que, inicialmente, não exige condicionamento físico ou técnico muito rigoroso.

A origem do esporte
Por volta de 1890, passageiros de navios ingleses tentaram adaptar a prática Tênis ao espaço de bordo. Esse Tênis de Alto mar, como ficou conhecido no início, era praticado numa quadra de dimensões menores e protegida por telas. Somente em 1924, o Pádel passou a ser praticado em terra, quando o norte americano Frank Beal improvisou algumas quadras nos parques municipais de Nova Iorque. Por essa época, o esporte passou a ser chamado de Pádel Tênis. Em 1969, Enrique Corcuera construiu a primeira quadra de Pádel em um hotel de Acapulco, no México. Foi Corcuera quem definiu as dimensões de quadra e o regulamento que rege o esporte mundialmente. Outro grande responsável pela difusão do Pádel foi o príncipe espanhol Afonso de Hohenlohen. Entusiasmado com o novo esporte, o nobre levou-o para a expansão do Pádel para outros países europeus. Atualmente, o Pádel é organizado e regulamentado a nível mundial pela FIP (Federación Internacional de Pádel), entidade que conta com 15 associados, nos quais se destacam o Brasil, Argentina e a Espanha.

REGRAS OFICIAIS

JANEIRO DE 2002
1. A QUADRA
1.1. A área de jogo trata-se de um retângulo de 10 metros de largura por 20 metros de comprimento.
1.2. Este retângulo será dividido na sua metade por uma rede, formando em cada lado um quadrado de 10 x 10 metros, campo pertencente a uma das duplas durante o jogo.
1.3. De cada lado deste quadrado será demarcada, à 7 metros da rede e paralela a esta, uma linha denominada “ linha da área de saque”.
1.4. Desta linha até a rede está compreendida a “área de recepção de saque” que será dividida ao meio por uma linha perpendicular até a rede, denominada “linha central”.
1.4.1. Este traçado divide a “área de recepção de saque” em dois retângulos de 5 x 7 metros (“área de recepção de saque direita e esquerda”).
1.5. Entre a “linha da área de saque” e o fundo da quadra está a “área de saque”. Dividida ao meio pela linha imaginária contígua a “linha central” forma mais dois retângulos de 3 x 5 metros (“área de saque direita e esquerda”).
1.6. A quadra será cercada em sua totalidade. Nos fundos por paredes de 3 metros de altura, complementadas por tela metálica de 1 metro de altura. Nas laterais por paredes e telas metálicas em variações aceitas pela FIP.
1.7. As paredes, as telas e os postes de sustentação (de formato circular para evitar acidentes) serão construídos/fixados no limite externo da área de jogo.
1.8. A expressão “paredes” diz respeito a estruturas em alvenaria, vidro ou outro material que não modifique a essência do jogo.
1.9. As linhas demarcatórias serão pintadas/fixadas ao solo em cores contrastantes com a cor predominante do piso. Terão 0,05 metros (5 cm.) de largura e serão colocadas na parte interna da área que demarcam.
1.10. Nas quadras cobertas a altura, livre de qualquer obstáculo, existente entre o teto e o piso da quadra não poderá ser inferior a 6 metros.
1.11. A rede será sustentada por um cabo de, no máximo, 0,01 metros (1 cm) de diâmetro, terá o,88 metros (88 cm) de altura na parte central, elevando-se até a altura de 0,92 metros (92 cm) nas suas extremidades, onde será fixada nos postes de sustentação.
1.12. A medida da abertura (lado ou diagonais) da trama da telas metálicas e da rede deverá estar compreendida entre 0,045 metros (4,5 cm.) e 0,057 metros (5,7 cm.).
1.13. As quadras não poderão ter portas de abrir e fechar, devendo ter apenas um vão de 0,90 metros (90 cm) de largura por 1,90 metros (190 cm.) de altura para cada lado do poste de sustentação da rede.

2. A BOLA
2.1. A bola é específica para prática do Pádel, ou a mesma utilizada no jogo de tênis.
2.2. A COBRAPA poderá vir a declarar uma ou mais marcas de bolas como oficiais para a prática do Pádel no País.

3. A RAQUETE
3.1. A raquete será de material que apresente superfície plana e sem rugosidade exagerada.
3.2. Deverá ter as medidas máximas de 0,455 metros (45,5 cm.) de cumprimento e 0,26 metros (26 cm.) de largura e 0,050m (50mm) de espessura.
3.3. Será portadora de um cordão de segurança, de uso obrigatório.
3.4. Não poderá ser pintada com tintas ou técnicas que, sob a ação da luz do sol ou de refletores, venham a ofuscar os olhos dos adversários.

4. INÍCIO DO JOGO
4.1. A partida é disputada sempre por 04 (quatro) jogadores, dois contra dois, caracterizando o Pádel como um jogo de duplas.
4.2. A escolha do lado da quadra em que a dupla começará jogando e o direito de iniciar sacando serão decididos por sorteio. O ganhador decidirá entre sacar ou escolher o lado que começará jogando.
4.3. Ao iniciar cada “set” a dupla decidirá qual o jogador que começará sacando e, dali em diante, o farão alternadamente.
4.4. Também ao início de cada “set” a dupla decidirá quem começa recebendo o saque, não podendo alterar esta posição até o final do mesmo “set”.
4.5. Antes do início de cada jogo os participantes terão direito a 5 minutos de aquecimento, dentro da quadra.
4.6. O início do jogo começa com o saque.

5. O SAQUE OU SERVIÇO
5.1. O saque consiste em o jogador, da sua “área de saque” (direita ou esquerda), lançar a bola por cima da rede na “área de recepção de saque” (direita ou esquerda) do adversário localizada na sua diagonal.
5.2. A rotina “Saque” implica na execução de uma segunda tentativa caso o sacador tenha desperdiçado a primeira.
5.3. O sacador terá o direito de repetir, tanto o primeiro serviço quanto o segundo, sempre que a bola tocar na rede (“net”) e cair dentro da “área de recepção de saque” do adversário, desde que o segundo pique não bata na tela lateral ou na “quina” da parede. 5.4. A ocorrência do “let” (repetição do ponto) garante ao sacador o direito de nova rotina de “Saque”.
5.5. No momento em que o sacador bater na bola, ou da sua tentativa frustrada, o saque será considerado como efetuado.
5.6. O sacador, durante o serviço, deverá manter-se dentro da sua “área de saque” não podendo pisar, ultrapassar ou picar a bola fora do seu limite.
5.7. Ao sacar, o jogador não poderá andar ou correr.
5.8. No momento do saque o jogador deverá bater na bola em altura abaixo da sua cintura e ter pelo menos um dos pés em contato com o piso.
5.9. O saque deverá ser realizado sob a concordância tácita do recebedor. Caso este não esteja preparado e não esboce nenhuma resposta, o sacador deverá efetuar novo saque, ainda que seu serviço tenha sido incorreto.
5.10. O recebedor deverá esperar a bola picar dentro da “área de recepção de saque” para depois responder.
5.11. A bola sacada que bater no recebedor ou seu parceiro sem tocar no piso será considerada ponto para o sacador.
5.12. O saque não poderá ser respondido pelo parceiro do recebedor.
5.13. Quando um ou mais saques forem executados com o sacador situado no lado errado da “área de saque” deve-se validar os pontos jogados e imediatamente corrigir o erro.
5.14. Quando um jogador sacar na vez de outro deve-se validar os pontos jogados e imediatamente corrigir o erro.
5.14.1. Se o erro for percebido no primeiro saque, este ponto não será validado.
5.14.2. Se o erro for percebido após o encerramento do “game” deverá ser observada a nova ordem de saque.
5.15. Quando durante o jogo a ordem de recepção for alterada, esta deverá ser mantida até o final do “game” e o erro corrigido somente a partir do “game” seguinte.
5.16. Durante o saque, o parceiro do sacador deverá manter posicionamento que permita o recebedor observar o percurso da bola.

6. DURANTE O JOGO
6.1. A bola deverá ser lançada sobre a rede para o campo adversário, onde não poderá picar mais de uma vez no piso.
6.2. O jogador poderá rebater a bola sem que esta pique no seu piso (exceto a oriunda do saque).
6.3. O jogador poderá rebater a bola que, após picar no seu piso, vier a bater em uma ou mais paredes e/ou telas metálicas do seu campo.
6.4. O jogador poderá devolver a bola para o campo do adversário com a utilização das paredes desde que, após este recurso, a bola não toque no seu campo e nem nas telas metálicas.
6.5. O jogador poderá bater a bola no piso do campo adversário fazendo com que ela saia dos limites da área de jogo.
6.5.1. Os jogadores estão autorizados a sair da quadra e devolver esta bola enquanto não ocorrer o seu segundo pique.
6.5.2. A bola (praticada no item 6.5.) que volta ao campo de jogo depois de bater em algum objeto alheio a quadra (árvore, arquibancada, etc.) não poderá ser respondida.
6.6. O jogador poderá bater a bola no piso do campo adversário fazendo com que ela, após impactar nas paredes e/ou telas metálicas, retorne ao seu campo.
6.6.1. O adversário, na forma do item 6.3., poderá rebater esta bola.
6.7. O jogador não poderá saltar por cima da rede e nem lançar a raquete em busca da bola.
6.8. O jogador não poderá devolver a bola antes que esta tenha ultrapassado a rede (invasão) , exceto quando a bola vier do seu campo.
6.9. Será permitido ao jogador, na continuidade da batida da bola, efetuada no limite da sua quadra, invadir o espaço adversário.
6.10. O jogador ou a dupla não poderá bater na bola duas vezes seguidas.
6.11. A bola que for conduzida ou empurrada, num tempo maior de contato com a raquete do que o toque comum, será válida desde não ocorra dois ou mais toques distintos da bola na raquete.
6.12. Se o jogador, sua raquete ou qualquer objeto que leve consigo, tocar na rede ou em alguma parte do campo adversário, aí incluídos a tela metálica e seus postes de sustentação, perderá o “ponto”.
6.12.1. O poste de sustentação da rede é considerado parte integrante desta.
6.13. O jogador perde o “ponto” se a bola tocar em qualquer parte do seu corpo ou em qualquer objeto que leve consigo.
6.13.1. A mão que empunha a raquete é parte do corpo.
6.14. O jogador não poderá realizar ação deliberada ou involuntária, fora da normalidade, que atrapalhe o adversário. Esta ocorrência, quando assim entendida pelo árbitro, acarretará perda de “ponto” para o faltoso.
6.15. Quando ocorrer situação onde ações ou objetos, alheios ao jogo, interferirem na atenção do jogador, o “ponto” em disputa será repetido (Exemplo mais comum: bola advinda de outra quadra).
6.16. A bola que bate sobre a linha ou em parte desta, será considerada caída sobre a área que esta linha delimita.
6.17. A bola que bate sobre o ângulo formado pela parede o piso é válida.
6.18. O jogador deverá cuidar para que objetos alheios ao jogo (outra bola, bonés, etc.) não fiquem no seu campo pois perderá o “ponto” se a bola bater nestes objetos.
6.19. A bola impulsionada para o campo do adversário que, após bater no piso deste, passar para fora da área de jogo por defeito da tela metálica ou, ainda, se ficar presa a esta, será “ponto” de quem a arremessou.
6.20. As duplas deverão trocar de campo sempre que a soma dos “games” for número impar.
6.21. Durante uma partida serão admitidos os seguintes intervalos máximos:
6.21.1.Entre “pontos” - 25 segundos
6.21.2.Entre “games” quando houver troca de campo – 1 minuto e 30 segundos.
6.21.3.Entre “sets” – 1 minuto e trinta segundos.
6.21.4.Por lesão do jogador (uma única vez) - 3 minutos.
6.21.5.Para atendimento médico no intervalo do “set” (uma única vez) - 4min.

7. A PONTUAÇÃO
7.1. Cada disputa durante o jogo, iniciada com o saque e terminada com o erro de alguma das duplas, receberá o nome de “ponto”.
7.2. O primeiro “ponto” obtido por cada dupla será contado como “quinze”, o segundo como “trinta”, o terceiro “quarenta” e o quarto como “game”.
7.3. A dupla que primeiro fizer quatro “pontos” terá vencido o “game”, desde que o faça com diferença de dois “pontos” sobre o adversário.
7.4. Se houver empate em “quarenta” a pontuação recebe o nome de “iguais” . O ponto seguinte “vantagem a favor” ou “vantagem contra”, sob a ótica do sacador. A seguir, dependendo de quem vencer o “ponto”, a contagem volta para “iguais” ou declara-se “game”.
7.5. A dupla que primeiro somar seis “games”, desde que o faça também com diferença de dois “games”, terá vencido um “set”.
7.6. No caso de as duplas chegarem empatadas em seis “games” o desempate será decidido na modalidade de “tie-break” .
7.7. Nas competições oficiais as partidas deverão ser disputadas em melhor de três “sets”.
7.8. Admite-se sistema de contagem onde a partida será disputada em único “set” de nove “games”, mantida a necessidade da diferença de dois “games” sobre o perdedor. Nesse caso, o empate em oito “games” leva a decisão para o “tie-break”.
8. O TIE-BREAK
8.1. Consiste num sistema de desempate onde ganha a dupla que primeiro chegar a sete “pontos”, observada a diferença de dois sobre o adversário.
8.2. No “tie-break” o primeiro ponto obtido pela dupla denomina-se “um”, o segundo “dois” e assim sucessivamente.
8.3. Começa a sacar o jogador a que corresponda a vez, do lado direito da sua “área de saque” e executando uma rotina de saque. Concluído o “ponto” passa a sacar o jogador adversário (da vez), executando duas rotinas de saque, sendo a primeira do lado esquerdo da sua “área de saque”. Na continuação passa a sacar o adversário, da mesma forma, e assim sucessivamente.
8.4. As duplas deverão trocar de campo a cada seis “pontos” jogados, sem direito a intervalo/descanso.
8.5. Ao vencedor do desempate será apontado o resultado de 7 x 6 (“games”).
8.6. No “set” seguinte iniciará sacando a dupla que começou recebendo o saque no “tie-break”.
8.7. Admite-se sistema de desempate onde o “tie-break” , disputado em 11 “pontos”, sempre com a diferença de dois sobre o perdedor, substitui o terceiro “set”. Nesse caso ao vencedor será apontado o resultado de 2 x 1 (“sets”).